ROCKSQUENTA – Eu Fui!

Acabei de chegar em casa, fomos na lagoa do taquaral, na Concha Acústica para assistir em especial o Festival RockSquenta organizado pelo MOPEMUCA. 
A proposta foi apresentar algumas bandas de Campinas com som autoral e também arrecadar alimentos, roupas e muitos outros itens para o Instituto Humberto de Campos. Pela a Proposta posso dizer que o evento foi bacana. Além do mais ver um espaço público como a Concha voltar a receber eventos desse porte também me alegrou ao ponto de chamar minha esposa e minha filha para irmos ao Taquaral.
Vi as apresentações de algumas bandas. Sinceramente achei que faltou algo, as coisas não pareciam muito bem. O som não dava para ouvir as vozes, a bando Los Cones com 3 vocais cantando em alguns refrões e mesmo assim não dava para ouvir. A equipe de som tentou melhorar, mas quando Chegou a Banda Thriven de metal, aí que não ouvi nada mesmo. Quem curtiu mesmo foram os baixinhos, o Yan e a Gaby dançaram , pularam e até ganharam CDs da Organização.
Voltando ao evento, Teve até Banda que foi tocar e o Guitarrista não tava lá na hora, quase colocando os caras numa “roubada”. Além desses “lances” fiquei com a impressão que as bandas estavam tocando para si mesma e não para o Público. E além disso fiquei um pouco chateado em ver alguns músicos acabarem de tocar, descer do palco e irem embora. Faltou um pouco de respeito para com as outras bandas, na minha opinião, afinal penso como músico, pois sou um. O que eu penso é que se as bandas tem outros compromissos, por que tocam nesses eventos? A organização disse para mim que minha banda não poderia tocar por que já havia muitas bandas. Aí vem bandas que invertem de posições na apresentação por que tem outras apresentações como a Fantastica Madame. Tudo bem que os caras tocam muito e para mim foi a melhor banda que vi tocar até o momento em que fiquei. Mas acho que faltou um pouco de camaradagem com outras bandas que poderiam ter tocado e estar dedicada no evento.
Mas tudo bem, são apenas minhas opiniões sobre o que eu penso sobre o que eu vi.
Como sugestão, acho que seria legal ser menos bandas, tipo umas 5, e rolar uns Jams entre elas, e envolver o público nas apresentações. Com shows de 1 hora para cada por exemplo.
Vamos esperar o próximo evento.
Abraços
Montanha

2 comentários em “ROCKSQUENTA – Eu Fui!

  • setembro 16, 2011 em 6:46 pm
    Permalink

    Olá Montanha, sou a Mônica, produtora da banda A Fantástica Maddame, respeito seu ponto de vista, mas gostaria de esclarecer o ocorrido: o Rockesquenta foi um evento organizado pela Atmosfera Produções em parceria com a Prefeitura de Campinas, a qual estava passando por uma crise política acarretando atrasos nos processos burocráticos.

    Por isso foi alterada a data do Roquesquenta, mas a Maddame tinha outro evento já agendado a noite então eu e a organização tivemos o maior cuidado para desenvolver um cronograma com que a Maddame pudesse participar no Rockesquenta e na Tarde do Rock que rolou em Cordeirópolis, porque já tínhamos combinado com esses dois festivais e os dados da Maddame já estavam em tramitação na prefeitura.

    Não podíamos desonrar um dos compromisso, mas como você é musico e já deve ter participado de outros festivais, é natural que eles atrasem por uma serie de fatores, mesmo colocando essa folga no cronograma não houve jeito e tivemos que trocar os horários da Fantástica Maddame e da Alpha III mas em comum acordo na maior paz.

    O show foi feito com toda musicalidade e respeito possível para o publico presente poder curtir o som, tivemos que nos apressarmos para oferecer o mesmo respeito ao publico de Cordeirópolis que estava a espera da banda.

    Sabemos da falta de espaço para as bandas se apresentarem, enfrentamos os mesmos problemas que qualquer uma, temos que nos unir, prestigiar e ampliar a visibilidade cada vez mais dessas iniciativas.

    Grata

    Resposta
  • setembro 17, 2011 em 12:19 am
    Permalink

    Então, Mônica, como cito no meu post, coloquei minha opinião e não vou muda-la. Já organizei eventos, festivais também, e se eu tenho bandas disponíveis para tocar no evento, chamaria apenas as bandas que estão disponíveis para o evento que estou organizando. É questão de bom senso mesmo, afinal é bacana para a banda que toca por último, ver que a primeira banda está lá para prestigiar, e vice-versa. A união das bandas para mim parte desse respeito. Se a Plus Size estivesse lá nesse evento e fosse a última banda, a Fantástica Maddame não estaria lá para prestigiar, não sei se consegui ser claro. Mas beleza, esse é o lado comercial e capitalista, que infelizmente está impregnado na sociedade em que vivemos.

    Abraços e obrigado por pretigiar meu Blog.

    Montanha

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *