Tico Pelo Mundo:

Tem dias que eu me sinto insignificante perante a vida. Impotente e buscando algumas respostas que eu sei que nunca vou encontrá-las. Penso um pouco onde poderiam estar. Nem dentro, nem fora.

Mas mesmo assim tenho que seguir, firme. Por mais que aqui dentro esteja tudo mole. O mundo externo é real. É lindo. Mas também é doloroso e exige de nós a capacidade de aprender uma lição em cada acontecimento. Acontece que às vezes a lição é dura e causa uma sensação ruim. É algo doloroso: pra quem passa, pra quem vai e pra quem fica.

Amadurecer é isso. Mostrar a nossa fragilidade e saber que tudo, exatamente tudo, é passageiro. Nada é meu. Nada é nosso. Apenas as nossas histórias. E Quem vai contá-las?

A cada dia que passa nos despedimos de pessoas, de momentos, de histórias que possivelmente nunca mais irão se repetir.

Isso deveria ser o suficiente para que possamos, olhar para dentro de nós mesmos e gritar: Hoje eu quero ser melhor!

Por mais que ninguém pudesse nos ouvir. A gente vive reclamando do caos que vivemos. Vivemos num mundo cronometrado da rotina e faz nos pensar em fugir disso tudo.

Hoje eu só quero andar por aí sem muitos questionamentos, parar no farol e comprar um algodão doce e deixá-lo dissolver na boca enquanto eu vejo a vida passar.
A gente poderia fazer tantas coisas se tivéssemos a consciência de que não somos para sempre. Ou melhor, a gente poderia dizer tantas coisas.

É! Tem dias que os nossos olhos dizem tudo sobre a nossa mente, pena que o mundo só precisa das palavras para nos compreender, pois ainda não aprendeu a linguagem do silêncio.

Hoje eu só quero ficar em silêncio

Texto: Amaílson / Luiz Montanha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *